Reprodução

A reprodução

A reprodução compreende os processos de geração de descendentes férteis entre seres vivos. A reprodução pode ser assexuada ou sexuada.

A reprodução assexuada é caracterizada por não possuir variabilidade genética.

A reprodução sexuada é caracterizada por possuir variabilidade genética. Para ocorrer a variabilidade genética é imprescindível que ocorra a meiose em alguma etapa. A meiose é responsável pela formação de gametas. Quando os gametas sofrem fusão, dizemos que ocorreu a fecundação. Após a fusão dos gametas ocorre a fusão dos pró-núcleos masculino e feminino, processo denominado anfimixia. Se um gameta feminino formar um indivíduo sem a necessidade de fusão, dizemos que ocorreu a partenogênese, processo característico de algumas espécies animais.

O processo de meiose que é responsável pela formação de gametas é conhecido como gametogênese. A gametogênese é o processo de formação de gametas que ocorre nas gônadas masculinas e femininas. Nos homens a gametogênese é conhecida como espermatogênese e ocorre nos testículos, já nas mulheres é conhecida como ovogênese (ovulogênese) e ocorre nos ovários. O processo citológico de formação de gametas é conhecido como meiose, em que uma célula diploide pode formar quatro células haploides. Os homens geram quatro gametas viáveis e as mulheres formam somente um único gameta viável.

      I) Espermatogênese: é o processo de formação de espermatozoides (gameta masculino). É dividido em quatro fases:

  • I-a) Fase de multiplicação: formação de espermatogônias (2n) através de mitose.

  • I-b) Fase de crescimento: transformação das espermatogônias (2n) em espermatócitos primários (primeira ordem - 2n) através do aumento do volume celular.

  • I-c) Fase de amadurecimento (maturação): divisão por meiose do espermatócito primário (2n) em dois espermatócitos de segunda ordem (n), com posterior divisão dessas células em quatro espermátides (n).

  • I-d) Fase de especialização: as espermátides (n) sofrem alterações funcionais e estruturais, formando os espermatozoides (n) com capacidade fecundante.

      II) Ovogênese: é o processo de formação do óvulo (gameta feminino). É dividido em três fases:

  • II-a) Fase de multiplicação: formação de ovogônias (2n) através de mitose.

  • II-b) Fase de crescimento: transformação das ovogônias (2n) em ovócitos primários (primeira ordem - 2n) através do aumento do volume celular.

  • II-c) Fase de amadurecimento (maturação): divisão por meiose do ovócito primário (2n) em duas células haploides, um ovócito secundário e um glóbulo polar, com posteriores divisões dessas células em um óvulo e três glóbulos polares.

 

Observação: Tipos de óvulos animais: alécito, metalécito, heterolécito, telolécito e centrolécito.

 

Nas mulheres existe a regulação hormonal conhecida como ciclo menstrual (estral) responsável por regular a liberação dos gametas femininos. Os hormônios que regulam o ciclo são: hormônio folículo estimulante (FSH), hormônio luteinizante (LH), estrogênio e progesterona. O FSH e o LH são produzidos pela hipófise e são chamados de hormônios hipofisários; já o estrógeno e a progesterona são produzidos pelos ovários e são chamados hormônios ovarianos.

Os hormônios atuam de forma simplificada na seguinte sequência: FSH > Estrogênio > LH > Progesterona (macete: grave as iniciais FELP). No início do ciclo todos os hormônios estão em baixa, assim como no final do ciclo. Eles se regulam em “feed-back” negativo.

Em casos de gravidez haverá a produção, através da placenta, do hormônio gonadotrofina coriônica.

Aprofunde seus conhecimentos nas seguintes revistas eletrônicas de ciências:

http://www.cienciahoje.org.br/

https://super.abril.com.br/

http://www2.uol.com.br/sciam/

https://www.nature.com/nature/

https://www.nationalgeographic.com/

O material disponível no site está registrado e não pode ser copiado ou reproduzido sem a expressa autorização do autor.  É permitida a utilização dos textos em trabalhos escolares. Lembre-se que algumas das imagens são comercializadas de terceiros e os responsáveis assumirão legalmente pelo seu uso indevido.

Lei de Direitos Autorais Nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

© 2015 por OMNIBIOCIÊNCIA - O melhor conteúdo de Ciências e biologia para estudantes do Ensino Fundamental e Médio.